terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Pés descalços na areia e pensamento é atração

Estava conversando com uma amiga no trabalho que pouco nos vemos mas sempre que encontro tem algo legal para falar que eu guardo para posteridade. Com a proximidade do fim de ano, ou melhor da virada, porque o ano já terminou, ela me fez pensar em algo bacaninha. Estávamos falando sobre o Reveillon passado e de como o astral de ir a praia de Copacabana é legal. A primeira vez que fui, estávamos apenas as mulheres da família e sentamos na areia depois de uma longa jornada para chegar até lá. No nosso lado tinha dois figuras que provavelmente não sabiam mais seus nomes porém estavam numa felicidade contagiante. Pelo que parecia a jornada deles havia sido mais longa pois tinham o sotaque de alguma terrinha arretada , sacolas pesadas e estavam de jeans... Eu sei que lá pelas tantas todo mundo se abraçava e o cara que tinha passado cavando, a maior parte do tempo em que eu estava ali, depois da meia noite resolveu enfiar a cabeça no buraco e jogar areia para o alto como um cachorro labrador feliz na praia... Minha mãe e minha avó desconfiadas, acharam a "saída pela esquerda" mas com um riso legal nos rostos. Eu tinha algo em torno dos 12 anos.
Depois [intervalo] de muitos anos, completamente apaixonada estava eu, primeiro reveillon junto com aquele que me acompanharia até hoje, ainda na fase "uma piscadela, uma surpresa, um sorriso", fui para o Leblon. Não seria a mesma coisa que Copa... Organizaram uma ceia na casa dele e decididos fomos nós, um grupinho de 30 pessoas de ônibus tentar chegar em Copa antes da virada. Desistimos no meio do caminho e caminhamos até a praia em tempo. Gostoso demais! Acho que foi o melhor de todos os anos. E foi por isso que este texto começou: Na conversa de hoje, ela mencionou algo que me fez querer cancelar todos os planos para o Reveillon deste ano. As pessoas caminhando em uma só direção desejando sempre que o próximo seja o melhor, ao lado e de mãos dadas com as pessoas que ama (ou parte delas, são tantas). Beijar aquele que um dia seria meu marido, naquele momento de reflexões e pensamentos positivos há cinco anos atrás foi realmente algo memorável, mas melhor ainda é ter a certeza de que ele estará nos outros dias ao longo de outro ano que será mais brilhante que o que passou.
Este texto é para a D Morito que me fez querer pular sete ondinhas da felicidade e para o marido que ensina o que é ser a felicidade em pessoa. Desejo a todos o melhor ano de suas vidas!

Luca

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Festival de Torta 2

Eu vou ter que ter coragem para continuar firme e falar de comidinhas... Demorei uns 20 minutos para pensar em uma combinação de café-da-manhã que não afetasse o processo...

Ontem estava vendo um filme sobre coisas gostosas. Vê se não concorda comigo:
  1. Uma lojinha/café bem comum lá, com a seguinte mensagem pintada no vidro: COOKIES, PIES e CUPCAKES
  2. A voz da Norah Jones ao longo do filme inteiro
  3. Jude Law fazendo o que sabe de melhor!
E descobri que os cookies, as tortas e os cupcakes são tudo de bom. Tirando a torta de limão que é uma vedete aqui em casa por ser a sobremesa favorita do Fa, outro grande amor recente nosso é a de noz pecan e a de amendoim foi uma grata descoberta. Esta receita foi adaptada da Bon Appetit abaixo:
Torta de Amendoim:


INGREDIENTES
Massa:

1 1/2 xíc. farinha de trigo
1 c. chá açúcar
1/2 c. chá sal
1/2 xíc. (120g) de manteiga sem sal cortada em cubos
4 c. sopa de água gelada

RECHEIO
1/3 xíc. de açúcar mascavo
2 c. sopa de farinha
1/4 c. chá de canela
3 ovos grandes
1/2 xíc. de mel
1/2 xíc.  Karo misturado com 1 c. chá de vinagre de maçã
1/4 xíc. (60g) de manteiga derretida já fria
1 c. chá de baunilha
1 1/2 xíc. de amendoim descascado e torrado
Sorvete de baunilha

Como a gente faz lá em casa:

Massa:
Misture a farinha o açúcar e o sal no processador. Adicione os cubos de manteiga e a água gelada e continue batendo até que se forme uma única bola. Adicione um pouco mais de água gelada caso a massa continue meio farofenta. Enrole num filme ou guarde num ziploc e deixe na por 1h. Pré-aqueça o forno em 180º. Forre uma fôrma de aproximadamente 28cmX3cm de altura. (Daquela onduladinha na lateral para tortas) e deixe descansar na geladeira por 15 minutos.

Forre com papel alumínio e cubra com grãos e asse por 20 minutos. Retire os grãos e fure o fundo da forma com um garfo, retorne para o forno para que a borda pegue uma cor dourada.

Recheio:
Misture todos os ingredientes secos. Bata os ovos na batedeira até que dobrem de tamanho, adicione o mel, o Karo, a manteiga derretida e a baunilha e bata novamente. Adicione a mistura de açúcar mascavo em tres etapas e continue batendo. Desligue a batedeira e adicione o amendoim. Despeje a mistura na massa já assada e fria. Deixe assar na temperatura de 180º por 40 minutos. Pode ser feita de um dia para o outro e deixar coberta com papel aluminio em temperatura ambiente.

Sirva com sorvete de baunilha.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

F É R I A S ! ! ! Stick and Sweet


Cansei de contar dias para as tão sonhadas férias que até o momento têm sido bastante chuvosas.
Estou cumprimdo a agenda e comecei de maneira inusitada vendo a "rainha" como a própria se chama e como nós em sua presença também nos rendemos.
 Após um atraso de 1h30 na segunda-feira depois de um dia de trabalho e prenúncio de férias, estava lá eu sentadinha no Maraca ouvindo o povo chamá-la por nomes belos quando chegam os carros no estádio e em menos de dois minutos ela entra no palco. Perfeita! Acaba cansaço, chororô por causa do preço do ingresso, e a espera de 4h contando com o tempo da fila vale mais que à pena. Me vejo uma fã da Madonna maior que pensava e o mais incrível é que sabia todas as letras by heart. O show é lindo. Acho que nunca vi nada parecido. Nem Confessions Tour. E como a mais nova fã incondicional de Madonna senti falta de umas músicas. Ainda bem que Borderline estava no setlist, numa versão inusitada trash metal muito legal. 

Outra novidade: Provavelmente daqui para frente teremos algumas receitinhas alternativas passando por aqui sem ser aquela coisa chata dizendo como a vida é cool por ser natural. O causo é: A partir de segunda estou de dieta!

Enquanto isso, enjoy!

Torta de Limão:

Massa:


Recheio:
160ml de suco de limão
2 latas de leite condensado
125g de creme de leite em caixinha sem soro

Merengue:

5 claras
3/4 xic de açúcar
2 c. de chá de suco de limão
raspas de limão

Como a gente faz lá em casa:

Forre uma forma de aro removível de 24cm de diâmetro com a massa. Faça furos no meio para que não suba enquanto assa. Leve ao forno pré-aquecido por 20 minutos

Bata no liquidificador, todos os ingredientes do recheio e despeje na fôrma com a massa já assada e fria e reserve. 

Para o suspiro, bata na batedeira em velocidade alta, as claras em neve acrescentando o açúcar quando a clara começar a subir, pouco a pouco até ficar bem firme, formando um suspiro.

Coloque o suspiro por cima do creme. Leve ao forno novamente pré-aquecido a 180º por 5 minutos apenas para dourar o suspiro. Decore com raspas de limão.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Não mudei quase nada... E ficou quase tudo...


Estava precisando de algo para adoçar a vida, PONTO.

Rocambole de chocolate do Pierre Hermè (rebeldia e impaciência + ler receita de maneira errada = sucesso)

INGREDIENTES:

5 ovos (sendo 4 separados com as claras em neve)
100g de açúcar
80g de farinha de trigo
80g de cacau em pó
pitada generosa de fermento

1 lata de leite condensado cozida na pressão por 30 minutos para virar doce de leite
OU doce de leite pronto mesmo

1 barra de 170g de chocolate ao leite
1 caixinha de creme de leite

Como a gente fez (diferente) lá em casa:

Bati 4 claras em neve na batedeira e reservei. Coloquei as 4 gemas com o açúcar na vbatedeira até ficar um creme clarinho. Adicionei a farinha, o cacau em pó e o fermento e bati na velocidade alta mesmo. Ficou uma massa pesada, e adicionei um ovo inteiro. Misturei mais. 
As claras em neve tentei dividir em três partes e fui adicionando aos poucos à massa para ficar aerada e leve. Espalhei bem na maior fôrma que tinha que estava forrada com papel manteiga (propria para rocambole, pois é larga e sem muita altura). Assei em forno médio e pré-aquecido. Fiz o teste do palitinho para tirar. 

Enquanto assava, e a lata de leite condensado já estava a horas mergulhada no gelo (como mãe fala: não abrir a lata quente porque vai espirrar em você!) fui fazer a cobertura. Quebrei a barra de chocolate em pedaços e coloquei em um pote resistente a microondas (leia-se pirex) e adicionei a caixinha de creme de leite. Derreti em potencia alta por 1 minuto e meio e bati com um garfo para misturar bem depois de derretido.

O bolinho pronto e morno, espalhei o doce de leite em toda a superfície, e com a ajuda do proprio papel manteiga aonde foi assado, fiz o processo para enrolar, parando de vez em quando para pressionar e o recheio aderir a massa. Quando estiver todo enrolado, transfira para um prato de bolo com cuidado e cubra com o ganache de chocolate (cobertura) e polvilhe cacau em pó em volta. servi com sorvete de baunilha... Realmente a vida ficou mais doce... A única coisa errada foi o tamanho... Nada para o dia seguinte na hora do House.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Posso pegar seu pedido ???

Eu gosto muito de sair para comer. Gosto muito de cozinhar mas tem dias que sofro do mesmo bloqueio que todo mundo: não poder engolir a comida feita por si (não conheço ninguém que prove o contrário em relação a esta teoria). Tem dia que até vou cozinhar mas simplesmente perco a vontade de comer aquele prato mirabolante que fiz.
O ponto deste post é: Todo mundo deve ter um restaurante favorito. Outback não vale! O meu aqui no Rio é o Gula Gula. Gosto da maneira descontraída do cardápio, e da escolha deste. Sim este seria o primeiro motivo, porque tirando os pratos com cogumelos já provei quase todos e os amo. O segundo motivo é porque ele teve a coragem de colocar o picadinho como carro chefe! O Gula Gula é o restaurante que menciono no post do picadinho. E por falar nisso, bobagem a minha, mas fiquei super hipercontente ao ver as receitas do Celidônio neste domingo n'O Globo. Ele falando do picadinho,até me senti parafraseada quando ele falou da popularidade do prato. hihihi!
Fiquem à vontade para falar qual o seu restaurante favorito aqui. Quem sabe não vale uma visita?
O meu amor pelo Gula é tanto que um dia pensei, poderia ter um livro sobre as receitas de lá, assim descobriria a receita daquele danado Vinagrete! E quando comecei a procurar na internet, adivinha o que aconteceu: Desejo materializado e a autora era minha xará! Coincidências à parte, tinha, com certeza, uma Luciana mais desesperada que eu! Não veio a danada da receita do Vinagrete, mas descobri como é bonitinha a história do restaurante bem sucedido, e como não só o cardápio mas também as mais famosas receitas também são simples. Prova disso a seguir. Livro a venda na internet ou em qualquer um dos Gulas. 

Torta de três queijos (quase nada alterado):

Massa: (esta serve inclusive para a torta de limão):

140g de manteiga (usei aquelas barrinhas culinárias que já vem com medida)
1 ovo
220g de farinha ( um pouco menos que 1 xícara = 240g)
1/4 c. de chá de fermento

Como agente faz lá em casa:

Misturar tudo, fazer uma massa uniforme e forre uma fôrma de aproximadamente 30cm. Reserve na geladeira enquanto prepara o creme.

Creme básico para todas as tortas salgadas:

125g de ricota
125g de queijo minas
50g de parmesão
6 ovos
600 ml de creme de leite (3 caixinhas)
1 pitada de noz moscada
1/4 c. de chá de sal
1 pitada de pimenta

Bater tudo no liquidificador.

Recheio:

150g de gorgonzola ralado
200g de queijo minas ralado ou amassado no garfo
200g de queijo prato ralado 

Pré-aqueça o forno em 180º. Espalhe os queijos na forma e depois cubra com o creme batido.

Cubra com o papel laminado e asse por 30 minutos. Enjoy it! 
Achei a foto aqui embaixo indispensável... Alguém sabe aonde está a Phoebe-fofoqueira-Wally?



Prometo que pelo atraso no post vou colocar outra receita ainda esta semana...

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Os amores de quem ama... COMER... (atendendo a pedidos parte 2)


Quando comecei a namorar o Fa, passamos a experimentar lugares no Leblon, além dos limites da Big Polis. Começamos a andar para o baixo Leblon e eu fiquei simplesmente viciada no financier do Cafeína. Amava ir lá tomar café da manhã e a desculpa daquele mega café, era o bolinho que ficava no pires ao lado do chocolate quente tímido perto da quantidade de comida posta à mesa. Depois passei a experimentar os mesmos bolinhos em todos os lugares que os identificava. No Copacabana Palace, durante um evento que organizamos para a empresa, ele veio coberto de chocolate branco. Ui! E os recém-descobertos no Garcia e Rodrigues?
Em um aniversário, resolvi seguir a receita que havia lido no site do Olivier, afinal não poderia ser mais simples. Acontece que eu fiz igualzinho mas se jogasse na parede quebrava. Desisti, por mais de três anos e resolvi algo novo. Pensei nos possíveis erros e procurei algum jeito de fazer muffins de amêndoas, sim, como financiers gigantes (mente gordinha entrando em ação!!! Aproveitei o ensejo que achei amoras, e fiz uma caldinha de frutas vermelhas que ficou uma coisa de tão boa! Agora uma coisa que eu meti na cabeça que estava errada na primeira tentativa e resolvi mudar... Porque as claras não estão em neve? Alguém, alguém pode me explicar por que as claras não estão em neve????

Saudades do Cafeína, mas pelo menos no financier, já sei me defender.

Muffins de Amêndoa com calda de frutas vermelhas: (12 porções)


2 c. chá (30 g) de manteiga, derretida,  para untar as forminhas depois jogar açúcar
1 xíc. de farinha de amêndoas. (Amêndoas moÌdas e bem fininha
1 2/3 xíc. de açúcar de confeiteiro
1/2 xíc. de farinha de trigo 
Pitada generosa de sal
5 claras 
3/4 xíc. de manteiga derretida 

Calda

1 bandeja de morangos sem talo, limpos e processados
400g de amora bem limpinha
6 colheres de sopa de açúcar de baunilha
1 1/2 xíc. de água

Como a gente faz lá em casa:

Ferva a água com o açúcar, até que este esteja completamente dissolvido e comece a ficar com aspecto de calda. Adicione o morango processado e por último as amoras. Como eu queria achar framboesa aqui no Rio... Não esquecer a panela, fique de olho pois ferve e levanta fervura mesmo...

Pré-aqueça o forno em 230C.

Unte as forminhas de muffin com manteiga e açúcar.Em uma tigela grande, misture a farinha, as amêndoas, o açúcar de confeiteiro e o sal (tudo peneirado) Adicione a manteiga derretida, já fria. A massa vai ficar algo brilhoso e um tanto quanto pesada.

Bata as claras em neve na batedeira. Adicione a mistura em três partes para que a massa fique bem aerada. Divida a massa nas forminhas sempre passando um pouco da metade da altura. Retire quando eles estiverem bem dourados e brilhosos por cima. Saem super fácil da forminha. Deixe esfriar na gradinha e sirva com a caldinha quente.

Os muffins podem ser guardados em potes herméticamente fechado por vários dias. 

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Impressões sobre a boda de papel

Um ano se passou. Deus como foi rápido. Lembro como se fosse hoje de manhã, eu enrolando milhares de docinhos como fazia nas minhas festas de aniversário quando era criança. A diferença é que naquela época comia e não engordava... tsc.tsc.tsc.

Fatos a serem lembrados sobre o primeiro ano:

* Uma colega de trabalho disse uma vez que comprava um bolo de casamento todo ano e congelava uma fatia ao longo do ano, até o próximo ano-bolo. Pensei que seria muito mais legal se eu fizesse o meu bolo. Triste idéia ... Nunca errei tão feio na minha vida e o bolo dançante foi pro lixo... Era de chocolate com ganache de chocolate branco e frutas vermelhas como recheio e chantilly de chocolate de cobertura. Chorava copiosamente enquanto o Fa tentava reunir o Vesuvio em erupção para jogar fora... Recheio mole demais, cobertura dura demais. Adeus... Ano que vem compro de novo...

* Estar doente e falta d'água após uma viagem podem ser os agravantes para o não-sucesso... Fa bem falou para comprar um na padaria (pêlos da nuca eriçam só de pensar)

* Alianças novas para simbolizar o casamento. As de noivado ficam de recordação. Bom sinal: Promessas com um ano de atraso ainda são dívidas a serem cumpridas, e foram... 

* Ephigênia, Ursula e Carlota  ganharam uma irmã magenta muito linda. Preciso escolher um nome. Alguém se habilita?

* Um "cheiro" bem gostoso nas duas que fizeram este dia se tornar especial mesmo com um céu cinzento: Minha sogra foooooooooooofa demais com o webcard que me faz sentir única sempre!!! Beca, meu doce que não pode comer doce: Pedir para sua mãe trazer o buquê neste tempo nos fez sentir mais que completos. Pois é a certeza de que somos felizes em termos amigos como você!

AiAi! Depois de choros, alegrias e meu primeiro bolo horroroso, vou para os braços do meu companheiro que é lá que reúno as forças para encarar um novo ano: UM ANO BOM. Aliás me sinto mais forte e realizada que um ano atrás. Não vejo a hora de chegar as bodas de prata, rubi, ouro...

Ao marido: O meu mais sincero SIM!


(Parêntese)




Galerinha nova no mundo dos blogueiros que está tendo problemas para postar. Fiz mais ou menos um passo a passo aqui abaixo para saber qual opção escolher para deixar seu recado:

Antes você deve clicar no link no final do texto, aonde está escrito "X comentários":

Vai abrir uma nova janela (pop-up) com as seguintes opções:
Obrigada pela paciência e um beijinho a todos!
L

domingo, 16 de novembro de 2008

Ode ao picadinho



Sim nós amamos picadinho!!!

Eu não sei quanto aos outros estados, mas comida da massa é o picadinho. Encontra-se em todas as classes de restaurante, inclusive no meu favorito, ele ganha uma versão diferente todos os dias. Pau para toda obra, inventado, reinventado e revisitado. Eu amo picadinho e uma das minhas maiores frustrações, é porque desde que eu casei, não consigo fazer com o gosto daquele feito pela minha mãe. Nada mais que carne, batata e cenoura... Aquele que dá felicidade de comer com arroz e feijão! Aquele que sempre aparece nos anúncios de tempero pronto.
Estava triste, porque na semana anterior havia tentado, e no meio da sessão besteirol no U tube, acabou virando picadinho de carne com cenoura e purê de batata tudo junto (de tanto que a coitada da batata cozinhou).

Fiquei procurando várias fontes para resolver o meu problema e achei. Fiz e ficou uma delícia! De nada lembra o gosto da casa dos meus pais, mas o diferente também é bom e a surpresa ficou na dica simples e óbvia: Enfarinhar a carne crua picadinha para ficar com uma consistência maravilhosa!


Picadinho (baseado no livro do Gula Gula)

Ingredientes:

500g de filet mignon picadinho
1 c. de sopa de farinha de trigo
1/2 cebola picadinha
1 dente de alho amassadinho
2 c. de sopa de azeite
2 c. de sopa de shoyu
1/2 xíc. de vinho tinto
1/2 xíc. de água
sal e pimenta a gosto


Como a gente faz lá de casa:

Em uma tigela, coloque o filet mignon, sal e pimenta. Adicione a farinha de trigo e misture bem, para que a esta fique igualmente espalhada por toda carne. Em uma frigideira grande e funda, doure a cebola no azeite e quando estiver dourada e molinha coloque o alho, misture bem e adicione a carne. A textura por aí já vai ficar maravilhosa, deixe cozinhar por uns 7 minutos, ou até o cubinho ficar igualmente cozido. Adicione o shoyu, o vinho e a água, reduza o molho por três minutos e nessa hora não só a textura, como a cor e cheiro. Corrija o sal e a pimenta caso seja necessário.

Lá em casa servi com banana da terra fatiada e frita com um tantico de manteiga, farofinha de alho, arroz integral e um ovinho frito (não sei fazer ovo pochê como fazem nos restaurante...)

Mãe, quando você vir aqui em casa acho que está na hora de retribuir as alegrias do bom e velho picadinho com batata e cenoura com algo novo. Pelo menos, enquanto não acerto o caminho...

domingo, 9 de novembro de 2008

Atendendo a pedido


Tão novinho e este blog já tem até solicitações, melhor, solicitação. Da Zirmã, vale?

Caesar Salad

1 alface americana lavado e em pedaços
Queijo parmesão em lascas

Molho:
3 c. de sopa de maionese
2 c. de sopa de azeite
2 c. de sopa de limão
1 dente de alho picado
1 c. de chá de molho inglês
1 c. de sopa de creme de leite
1 c. de chá de mostarda
pimenta do reino à gosto

Croutons (torradinhas temperadas):

4 fatias de pão de forma
1 c. de sopa de manteiga
óregano
4 c. de sopa de azeite
meio dente de alho bem picadinho

Como a gente faz lá em casa:

Comece pelos croutons:

Misture todos os ingredientes. Corte o pão em cubinhos e mergulhe nesta mistura. Caso ache que não ficou todo por igual coloque mais um fio de azeite e um pouquinho mais de manteiga.
Coloque para assar em forno previamente aquecido e baixo.

Molho:

Bata todos os ingredientes no liquidificador. Se achar que algum dos itens ficou mais destacados que os outros, que tenha ficado um pouco forte( o dente de alho grande demais, etc.),  coloque mais um pouco de creme de leite para dar uma amenizada. Coloque para gelar.

Quando os croutons estiverem douradinhos, retire do fogo. Pegue o alface, pique com as mãos, misture o molho. Por cima coloque as lascas de parmesão, e por último os croutons. Voilá!

Aí na foto, eu servi, com filet de peito de frango, cortado em tirinhas e enrolado em fatias de bacon. Muito bom!!!

domingo, 2 de novembro de 2008

Continuando a insanidade pelo chocolate



Receita de sucesso! E rapidinha demais. O efeito como a minha irmã pode comprovar é de deixar a boca cheia. Nada melhor para amenizar a chatice das eleições...

Bolinho-Gateau

  • 4 c. de sopa de manteiga
  • 1/3 xíc. de açúcar
  • 3 ovos
  • 1/3 xíc. de farinha de trigo
  • 1/4 c. de chá de sal
  • 170g de chocolate meio amargo (1 barra grande)
  • Açúcar de confeiteiro para enfeitar (opcional)

Como a gente faz lá em casa:

  • Pré-aqueça o forno em 200º C. Derreta a barra de chocolate (Me crucifiquem mas eu derreto no microondas mesmo).Unte uma forma para muffins (12 pequenos ou 6 consideráveis) e polvilhe açúcar ao invés da farinha.
  • Na batedeira em velocidade alta, bata a manteiga com o açúcar até tornar um creme claro. Adicione os ovos um de cada vez, batendo bem a cada adição. Diminua a velocidade da batedeira e adicione a farinha e o sal. Por último adicionem o chocolate derretido.
  • Despeje nas forminhas de muffin e asse em 150º por 12 minutos. Ele vai estar pronto quando vc mexer a forminha e ele para de balançar com o movimento, com uma aparência levemente fosca e crocante por cima. Retire do forno e deixe descansar por 10 minutos.
  • Para servir, vire o bolinho num pratinho e peneire açúcar de confeiteiro por cima (opcional). Sirva com chantilly ou com sorvete.

domingo, 26 de outubro de 2008

Eu só quero chocolate... CHOCOLATEEEEE


Um dia desses estava com o marido no carro e pensei que uma dessas cantoras de micaretas estava com desejo de grávida e fez uma música falando sobre guloseimas. Batemos pé (eu bati) dizendo que não era Marisa Monte nem que a vaca tossisse... Queimei a língua! A dúvida é: Por que uma pessoa tão magra como Marisa ia fazer uma música para gordinhos?
Aí pensei em Chocolate e lá fui eu fazer um bolo diferente. Em homenagem ao Arruda que tanto amo!
Para quem não conhece Williams Sonoma é uma loja de utensílios e tudo o mais para a cozinha que eu amoooooo!

Devil's food cake (Williams-Sonoma "Cake")
Ingredientes:

1 3/4 xícaras de farinha de trigo
1 c. chá de bicarbonato de sódio
1/4 c. chá de sal
1/2 xícara de cacau em pó
2 c. de chá de extrato de baunilha
1/2 xícara de água quente
1/2 xícara de buttermilk* --->(Para cada xícara de leite, 1 c. sopa de vinagre repousar por 5 minutos)
3/4 xícara de manteiga ou margarina
1 xícara de açúcar
1/2 xícara de açúcar mascavo
3 ovos grandes

Como a gente faz lá em casa:

Pré-aqueça o forno em 180ºC. Unte uma forma redonda de 23cmX5cm. Peneire a farinha, o bicarbonato, o sal. Numa tigela em separado, misture o cacau, com a água morna e depois misture com um batedor o buttermilk (leite talhado) e a baunilha.
Na batedeira, velocidade média, bata a manteiga até ficar um creme, adicione o açúcar refinado e o açúcar mascavo até ficar uma mistura aerada e pálida. Adicione os ovos um a um. Reduza a velocidade adicione os ingredientes secos três vezes, intercalados com a mistura do cacau em duas vezes: seco, molhado, seco, molhado e seco. Deixe no forno até que o palito saia limpinho. Não se assuste, demora um pouco, pois a forma é pequena porém alta e o bolo de chocolate demora um pouco mais...

Para a cobertura e recheio (frostings):
Ingredientes:

2 caixinhas de 150g de cream cheese
2 c. de sopa de manteiga
3 c. de sopa de leite
2 xícaras de açúcar de confeiteiro
2/3 xícara de cacau em pó
um pitada generosa de sal
2 c. de chá de extrato de baunilha
Mix de nozes, amêndoas e amendoim, triturado a grosso modo ou outros ingredientes que você prefira
1 c. de sopa de mel
1 c. de sopa de frangelico ou qualquer outro licor que vc prefira
4 c. de sopa de creme de leite.

Modo de fazer:

Bata a margarina com o cream cheese na batedeira até ficar um creme com picos, adicione o sal a baunilha, o açúcar e por último o cacau. Divida este creme em duas partes. Fatie o bolo em três. Numa tigela separada, misture o creme de leite, o frangelico, o mel e o mix de nozes. Depois de bem misturado, adicione uma das partes do creme de cacau. Recheie duas alturas do bolo com esta mistura. Por último cubra o bolo com a outra metade do creme reservado.


segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Manga + Leite = Mango Lassi !!!


Aqui em casa é uma luta para comer frutas. Eu gosto e o Fa também gosta, mas acho que por falta de hábito mesmo, não comemos, ou nem falamos "Ai que vontade de comer maçã!" Porém teimosa que sou, sempre quando vou ao hortifruti, bate uma compulsão de sair com as sacolas cheias de coisinhas naturebas e para desespero do Fa.
Nesse impulso, eu acabo experimentando congelar tudo.  Da última vez congelei, banana e manga. Com a manga resolvi deixar de lado todo o preconceito que os nossos malandros ancestrais nos deixaram e fiz um Mango Lassi. Nada mais é que um milk shake de manga de origem indiana. Eu já tinha visto a Tatu fazer sorvete, e resolvi fazer o smoothie do Jamie. Delícia pura!

Ingredientes:
2 copinhos de iogurte natural (eu usei sabor baunilha e ficou muito saboroso)
1 xícara de leite
Adoçante ou açúcar a gosto
polpa de uma manga descascada e congelada

Como a gente faz lá de casa:
Bater tudo no liquidificador e mandar ver!!!


domingo, 19 de outubro de 2008

Salada de batata com gorgonzola (Celeiro)


Essa salada foi uma saborosa surpresa do "bote salva-vidas"! O molho é tudo de bom e no final já estávamos molhando a baguete no que havia ficado na tigela de preparo.
Agora a parte legal foi ver a lista de compras. Clau ia comprar o leite talhado... :-P
No livro diz que pose ser servida com rosbife, ou então como canapé. Na segunda vez que fiz aqui em casa, servi em ramekins pequenos acompanhando a cervejinha.

Ingredientes (8 porções)

1 c. de chá de alho amassado
6 c. de sopa de maionese
4 c. de sopa de leite talhado
3 c. de sopa de gorgonzola (mais um pouco ralado, ou cortado em cubinhos)
1/2 c. de chá de sal 
1 kg de batatinha com casca
6 colheres de sopa de cebolinha cortada

O leite talhado é:
1/4 xícara com uma colher de chá de vinagre e complete com leite.

Como a gente faz lá de casa:

Coloque as batatinhas já lavada para cozinhar em água o suficiente para cobrí-las. Ponha para ferver e depois coloque em fogo brando.
Em uma tigela grande, junte o alho, a maionese, o leite talhado, o gorgonzola amassado no grafo e o sal. Misture bem com a ajuda de um fouet pequeno.
Assim que a batata estiver cozida e macia, mas sem desmanchar e deixar esfriar. Junte ao molho quando estiver já fria. Enfeite com a cebolinha e o gorgonzola em cubinhos.
Dura três dias na geladeira.